domingo, 19 de junho de 2011

...De tão sua...

De tão sua me perdi em vontades
Sem deixar que os sentidos fossem verdades
Sem saber que as verdades não eram imutáveis
Sem sentir que o que me restou era só ela:
Tão solta e resistente saudade.
De tão sua te fiz minha metade
Sem pedir um início, um meio e nenhuma finalidade.